janeiro 03, 2008

Comunicação Alternativa

Quando pensamos em comunicação, logo pensamos na fala. Porém, falar não é a única forma de se comunicar. Os surdos-mudos, por exemplo, utilizam a linguagem dos sinais para se expressar. Nesse caso, o contato visual é essencial para se estabelecer uma boa comunicação. É necessário ouvir com os olhos.

Com crianças que tem paralisia cerebral não é muito diferente. Claro que depende muito do grau do comprometimento, do mais leve ao mais grave. Há crianças com PC que possuem habilidade suficiente para serem alfabetizadas. Outras tem capacidade de falar, mas não tem coordenação para a escrita. E existem as que não tem condições nem para a fala, nem para a escrita. Então, como estabelecer uma comunicação? Como saber se está querendo se comunicar? Primeiramente é preciso saber que portadores de PC possuem um tempo de resposta diferente do nosso, mais lento.

Inicialmente, a comunicação pode vir de forma infantilizada, como um bebê, gritando, mordendo, chutando, jogando objetos. Ignorar pequenas tentativas de comunicação podem estimular estes comportamentos desagradáveis se a criança perceber que desta forma ela consegue a atenção desejada. Parar e perceber qualquer sinal é muito importante para estimular a comunicação. Um sorriso, uma reclamação, movimentos corporais, aumento da tensão, pequenos movimentos dos dedos das mãos ou dos pés, abertura da boca, jogar-se para trás, caretas, qualquer sinal deve ser calorosamente reconhecido. Estar alerta às tentativas de comunicação estimula a aprender formas de indicar desejos mais apropriadas e melhor compreendidas socialmente.

Além da expressão por meio de sons, ações corporais e gestos, existem sistemas de comunicação alternativa. Pranchas de comunicação com letras, símbolos e números; comunicadores com voz gravada ou sintetizada e programas de computador podem ser utilizados. Para isso, a ajuda de um profissional é fundamental para dizer se a criança está apta para estes recursos.

Um estimulação que me orientaram a realizar com o Lucas, e uma preparação lúdica para uma futura comunicação com prancha, é associar ações com objetos. A hora de dormir com um travesseiro, a hora de comer com o prato, a hora de escovar os dentes com a escova,... Assim ele vai criando uma imagem daquela ação e o próximo passo é transferir esta imagem para o papel, iniciando com uma foto do objeto e depois com figuras (desenhos) utilizados na prancha de comunicação.



exemplo de prancha de comunicação




Orientada também pelas profissionais que trabalham com o Lucas, aprendi a estimulá-lo a fazer escolhas visualmente, olhando em direção daquilo que ele quer. Pode ser uma sobremesa, uma roupa, um brinquedo. Tento mostrar as opções de forma clara e simples, evitando a fala excessiva para não distraí-lo, e sempre de maneira divertida e sem pressão. É preciso paciência pois a resposta não é imediata. Algumas vezes ele não está disponível naquele momento, e contorno a situação sem demonstrar frustração pois a intenção é estimulá-lo e encorajá-lo. Todos nós temos os nossos momentos que não queremos papo, não é mesmo? Cabe a mim respeitar o momento dele, sem cobranças, e num outro momento tentar novamente.

Qualquer comunicação depende fundamentalmente de um vínculo afetivo. Aprender a ouvir com os olhos, falar com expressões faciais, ver com as mãos não são tarefas fáceis para nós. Mas se torna muito mais fácil e prazeroso se for feita de forma criativa e divertida.


FILMES RELACIONADOS:


• Meu pé esquerdo - Christy Brown (Daniel Day-Lewis) é o filho de uma pobre família irlandesa. Ele nasce com paralisia cerebral, trazendo sérias consequências para os movimentos do seu corpo. Com o único movimento que tem, do seu pé esquerdo, Christy consegue se revelar como ótimo escritor e pintor. Oscar de Melhor Ator para Daniel Day-Lewis e Atriz Coadjuvante para Brenda Fricker.
• Meu nome é Radio - O deficiente mental Radio (Cuba Gooding Jr.) e o treinador de futebol americano Harold Jones (Ed Harris) acabam tornando-se amigos, e Harold resolve colocá-lo como ajudante de sua equipe. Porém o preconceito dos jogadores poderá fazer com que o que era para ser uma nova oportunidade na vida de Radio acabe tornando-se uma dor de cabeça para ele e sua família.
• Código para o inferno - Art Jeffries, um renegado agente do FBI, está decidido a combater implacáveis agentes federais para proteger Simon, um garoto autista de nove anos que quebrou códigos infecifráveis do governo. Ele é capaz de ler o mais avançado código criptografado, de maneira tão simples como outras crianças lêem histórias em quadrinhos. A habilidade de Simon mostrou a vulnerabilidade de um código secreto bilionário, especialmente se o menino cair nas mãos dos inimigos dos Estados Unidos
• Aprendiz de sonhador -
A história se passa numa cidadezinha de interior idílica, onde vive Gilbert Grape (Johnny Depp), um adolescente aparentemente comum que sustenta a família desde a morte do pai. O peso não é para qualquer um: além das irmãs excêntricas, do irmão deficiente mental (Leonardo DiCaprio), inclui a mãe obesa, que não pára de comer desde a morte do marido. Mas a chegada de uma jovem forasteira (Juliette Lewis) dará a Gilbert, a possibilidade de pela primeira vez fazer suas escolhas.

Saiba mais sobre comunicação alternativa no site www.comunicacaoalternativa.com.br/comunicacao-alternativa

9 comentários:

Grilinha disse...

Muito bom este post. O meu filho tb está a aprender a se comunicar de forma alternativa, embora já diga uma razoável quantidade de palavritas.
Gostei destas dicas de filmes, tb. Um beijo e bom 2008.

Anônimo disse...

Adorei a lista de filmes. Podemos aprender através deles a interagir melhor com as crianças especiais de qualquer tipo. Parabéns o blog continua muito bacana e com informações importantes. Tania

Cris disse...

Olá, adorei o blog! Sou fonoaudióloga, trabalho com a inclusão educacional e responsável de crianças com deficiência. Torço por você Lucas e por sua família, pelo seu sucesso e avanço constantes. Há muito para se fazer e cada um de nós pode fazer muito!
Um abraço grande: Cristina

carine disse...

Td bem?
Meu nome é Carine, sou psicóloga, trabalho na área infantil, e estou realizando uma ofina com monitores para ajudar a usarem as pranchas de comunicação q vcs já utilizam!!
Vc Lucas e sua família merecm td a felicidade do mundo, são exemplo!!
Um abração!
carineperes@terra.com.br

Jacque disse...

Que perfeito o seu blog...Tenho um sobrinho com PC e tivemos muitas dificuldades para colocá-lo em uma escola e agora estamos tendo para tirá-lo da classe especial. (Falsa inclusão). Achei lindo "o gato de rodas", é a expressão PERFEITA para o meu sobrinho, seu filho e todos os gatinhos e anjinhos que trazem tantas alegrias e lições para nossas vidas... Parabéns! LINDO!

Jacque disse...

meu email: j-goncalves88@hotmail.com

F.S.R disse...

Olá, adorei o blog, estou no primeiro ano de Educação Especial...
Estou amando o curso, e o meu primeiro trabalho será de "Comunicação Alternativa" ...
Aqui vocês me ajudaram a entender realmente como é todo este processo da prancha, entre outras dúvidas que tinha sobre o assunto.

Parabens a toda a familia!

Anônimo disse...

nossa...otimo blog..sou academico de Terapia Ocupacional e achei o máximo o conteúdo do seu blog...tbm tenho um acesse ai terapiaocupacionalhoje.blogspot.com

Amelinha disse...

olá
Meu nome é Rosa Amélia, estou fazendo o curso de comunicação alternativa e estou adorando. gostei muito do seu blogger.

Obrigada pela contribuição.

Abraços para você e especialmente para o lucas.
Beijos!!!!!!!!!!!!