janeiro 29, 2014

Calor no corpo



No paraíso, a temperatura sobe. 
Calor na mata e no corpo. 
Não é tesão, é febre! 

O bote inflável, comprado horas antes 
de pegar a estrada, está furado. 
Parecia saber que não cumpriria 
o que lhe era destinado. 

A febre volta. 
Os amigos começam a chegar. 
A preocupação também. 
Corre pra comprar outro antitérmico 
porque vai ter que intercalar. 

Dipirona. Não pira. 
Alivium. Não alivia. 
Paracetamol. Parece que tamos mal...
Apela pra compressa gelada que passou de 38! 
Será garganta? Ouvido? 
Infecção urinária? Algum problema na prótese? 
Por favor, quero uma bola de cristal! 

A volta terá que ser antecipada. 
O PS nos aguarda.
Colhe sangue, urina, raio-x. 
Expectativa. Espera. 
Tudo normal. 
Mas e a febre que não cede?! 
Há uma hipótese:
se não tem infecção por bactéria,
pode ser uma virose.

Um comentário:

Rafael Cires disse...

Melhoras pra esse gatão!

Um beijo,
Rafa Cires